quarta-feira, 18 de agosto de 2010

A dança dos técnicos dos times baianos

Por motivos totalmente distintos o vento da mudança de comando técnico soprou para os times baianos. No Bahia sai Renato Gaúcho que já flertava havia algum tempo com o cambaleante Grêmio, após rumores aladeados pela imprensa gaucha que dava como certa sua transferencia para o tricolor gaúcho. Ele vai assumir o vaga de técnico no lugar de Silas que deixou o Grêmio após a derrota perante o Fluminense no Domingo passado. No lugar de Renato Gaúcho entrou Márcio Araújo cujo maior feito profissional foi conseguir o acesso à Série A em 2008, com o Grêmio Barueri (hoje, Grêmio Prudente)


Já o Vitória, afastou desde a Segunda feira (09/08) o técnico Ricardo Silva. os constantes tropeços, o pouco aproveitamento no campeonato brasileiro a ponto de deixar o time bem perto da zona de degola e principalmente a inevitável perda do título para o Santos foram motivos suficientes para a seu afastamento. No lugar de Ricardo Silva assume Toninho Cecílio, egresso do Grêmio Prudente, time que comandava desde março.


Resta saber qual será o impacto para os grupos diante dessa troca de treinadores nos dois times. O Bahia seguia em trajetória ascendente e lutava arduamente por uma vaga de volta a elite do futebol brasileiro, porém a possibilidade de treinar um time no qual foi ídolo deve ter falado mais alto na decisão de Renato Gaúcho (além de uma boa quantia, óbvio. Haja visto que ele ganhava cerca de 200 mil reais no Bahia e no caso do time baiano subir a primeira divisão receberia um prêmio de 1 milhão de reais). Além disso, o tricolor contava com um dos melhores elencos da Segunda divisão, o que não quer dizer muita coisa, pois perdeu pontos importantes contra adversários aparentemente mais fáceis a exemplo do Duque de Caxias.



O Vitória é outra história, apesar de Ricardo Silva ter seus méritos por ter conseguido o tetracampeonato estadual e iniciado uma boa campanha na Copa do Nordeste, a irregularidade em torneios mais importantes impactou para sua saída do rubro-negro


Os técnicos substitutos dos dois times são vistos com certa desconfiança por parte da torcida, que almejavam técnicos de maior destaque para as respectivas equipes. E, pelo que já foi mostrados nos jogos capitaneados pelos dois, esse sentimento é plenamente justificado...

Nenhum comentário:

Postar um comentário