terça-feira, 21 de setembro de 2010

Acham que nordestino não faz nada

Eu li essa matéria e me veio diversos pensamentos, principalmente preconceituosos que o povo do sul e sudeste tem dos nordestinos, não só pela população que discrimina pela cor e atitude ou modo de ser, mas também as próprias mídias, principalmente a rede Globo, colocando em seus programas humoristicos o modo arrastado do baiano de falar (nem todo baiano fala assim) , a preguiça, a rede e água de coco, a má vontade de trabalhar, pois bem, essa matéria esclarece quem botou São Paulo de pé.
A proporção que os investimentos da construção civil e do varejo no Nordeste estão proporcionando à região, taxas de crescimento do emprego com carteira assinada maior que da média brasileira, também está tornando escassa a mão de obra em São Paulo. Das vagas criadas pelo setor de construção nos últimos 12 meses no país, mais de 34% estão nos estados nordestinos.
De acordo com o levantamento feito pela LCA Consultores, por encomenda da Agência Estado, das pelo menos 333 mil vagas formais criadas entre o mês julho de 2009 e 2010, mais de 114 mil foram geradas em Estados nordestinos, representando assim, mais de um terço do postos.
O economista Fábio Romão, da LCA, afirmou que os ganhos reais do salário mínimo e o crescimento do Nordeste "têm aumentado o dinamismo da economia local, reduzindo o fluxo de trabalhadores para outras regiões, aumentando os investimentos e ampliando a gama de oportunidades".
Enquanto o setor ampliou 16,6% as vagas formais em todo o país, só no Nordeste o crescimento chega a 30,5%.
Com o aumento dos investimentos no Nordeste nos últimos anos, organizações dos setores da construção civil e dos supermercados têm observado uma falta cada vez maior de mão de obra, principalmente em São Paulo.
O presidente da Associação Paulista de Supermercados (Apas), João Galassi, falou que o setor enfrenta dificuldades para preencher o aumento de 20% a 30% previstos para as vagas do final do ano.

Fonte:http://mikaelfernandes.blogspot.com/2010/09/crescimento-no-nordeste-diminui-mao-de.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário