quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Los Hermanos 18/10/2010 Eu fui



Cinco e meia da tarde, Concha Acústica do TCA.  A multidão começava a se amontoar na entrada, mas sem todo aquele tumulto visto no show de domingo. Encontrei Deivisson, meu parceiro de blog e entramos pouco depois. Como havia sido prometido pela organização do show, a segurança estava reforçada na entrada, com detectores de metais e conferência de bilhetes e comprovantes de matrícula pra quem tinha comprado ingresso de meia.

Já devidamente posicionados em um ponto estratégico próximo ao palco, ficamos a conversar um pouco até a hora do espetáculo, previsto para as seis e meia da noite. Pena que a previsão só foi se concretizar cerca de uma hora e vinte depois, o público já estava ficando indócil, lançando vaias de descontentamento e mostrando grande histeria ao menor sinal de mudança de iluminação ou dos tecnicos fazendo a passagem de som. Pra enrolar um pouco a moçada, eram distribuidos chocolates de uma marca famosa aqui no Brasil, mas isso, evidente, foi insuficiente acalmar o povo. Em meio a tudo isso ainda se podiam ouvir palavras de incentivo ao Bahia que está lutando com todas as forças para subir à primeira divisão, claro que uma parte do público torcedora do Vice... digo, Vitória da Bahia começou a reagir com vaias. Confesso que fiquei ao mesmo tempo surpreso e emocionado com a demonstração de apoio da torcida tricolor, dessa vez vai!!! Enfim, pra não fugir muito do assunto, toda a fúria do público se transformou automaticamente em aplausos e gritaria geral quando Camelo, Amarante, Medina e Barba subiram ao palco. Pra variar quase fiquei surdo desde o início, por causa dos berros de uma tiete que estava atrás de mim, Deivisson, esperto como ele só, estava registrando todos os momentos com sua câmera (puxa, nem pensei em levar a minha).

Em pouco tempo, a banda dominou a platéia por completo, despejando sucesso após sucesso acompanhada com o fiel coro da massa hermânica, em um show energético e tecnicamente apurado. Depois de quase duas horas de show, a banda se retira, todas as músicas que eu queria ouvir estavam presentes no setlist, inclusive "Quem sabe" do primeiro álbum, corrigindo, quase todas, teria apreciado muito se "Dois barcos" tivesse sido incluída na lista.

Pretendia finalizar e publicar esse artigo quando amenizasse a minha empolgação pós-show, mas não deu. Estou empolgado até hoje, ávido por mais uma boa demonstração desse grande representante do nosso rock nacional.

Um comentário: